Utilizando o Bullseye chart na Análise do valor agregado


Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail no botão LOGIN/REGISTRE-SE na parte superior direita do site. SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Antes de falar da aplicação do gráfico de alvo em conjunto da análise do valor agregado, irei abordar de forma “en passant” estas duas ferramentas.


O valor agregado é um conceito prático e simples que tem foco na relação entre os custos reais consumidos e o trabalho realizado no projeto. Esta ferramenta funciona com um tipo de “alarme”, permitindo ao gerente de projetos avaliar se está consumindo mais dinheiro para realizar uma determinada tarefa, ou se está apenas gastando mais naquele momento porque o desenrolar do projeto estás sendo acelerado. Isso permitirá que sejam tomadas ações corretivas e preventivas com a devida antecedência, possibilitando o controle do projeto.


Duas fórmulas muito utilizadas na análise do valor agregado são a de variação e custos e a de variação de prazo. A primeira visa avaliar se as atividades estão agregando um valor inferior ou superior ao que foi gasto para executá-las. A última objetiva informar se o valor agregado pelas atividades executadas é superior ou inferior ao valor que estava previsto ter sido agregado até aquele momento. Ou seja, enquanto uma variação procura responder sob a óptica do custo, a outra responde sob a óptica do prazo.

Figura 01 – Gráfico : SV (Variação em prazo) – CV (Variação em custo)

Fonte: Practice Standart for Earned Value Management – 2ª edition – page 66

Em relação ao segundo conceito que gostaria de abordar é do Bullseye chart ou gráfico de alvo. Este tipo de gráfico busca demonstrar se dois parâmetros estão atingindo determinado alvo. Vamos a um exemplo utilizando o próprio SV (variação de prazo) e CV (variação de custo).

Figura 02 : Bullseye chart - Parâmetro 01 SV e parâmetro 02 : CV

Fonte: Practice Standart for Earned Value Management – 2ª edition – page 73

Observando este gráfico, podemos verificar que o projeto apresentou grandes variações em custo e em prazo durante os 05 (cinco) primeiros períodos de medição, porém com uma tendência de melhora nos índices. O alvo representa a região central, onde se encontra a sexta medição. Neste gráfico, verificamos que o importante é apresentar o mínimo de variação, seja ela positiva ou negativa, até porque, sabemos que uma grande variação em prazo, ainda que positiva, é sinal de ineficiência no planejamento, pois subestimou a produtividade da equipe de obra. Um bom planejamento não é aquele que anda muito na frente, mas aquele que anda no tempo planejado. Este é o conceito de Just in time, trazido da indústria da produção para o ambiente de projetos.


A análise do valor agregado se utiliza de diversos tipos de gráficos e tabelas para poder transmitir ao time de projeto a real situação do projeto, da forma mais confiável e simples possível. Para saber mais sobre análise do valor agregado, deixo o link (http://www.lugaoconsultoria.com.br/) para o curso online de 5 horas de duração, onde serão abordadas inúmeras ferramentas que auxiliam o gerente de projetos no seu árduo processo de controle do projeto.


Para saber mais sobre o curso clique aqui e assista ao vídeo institucional com o conteúdo. Você irá se surpreender com a quantidade de informação que é ministrada nas aulas, desde a apresentação de novos conceitos, aplicação da metodologia de forma prática, estudo de caso para ilustrar a aplicabilidade da ferramenta e sua utilização no MS Project.


dwdwdwdwdefefefe

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square