• Thiago Lugão

Seja um planejador completo: Orçamentação


Toda terça feira irei postar assuntos relacionados a gestão de projetos (GP), podendo ser dicas para planejadores de obras, ferramentas e técnicas em gestão de projetos, temas novos no mundo de GP, bons cursos na área, transição de carreira, etc.


Todos nós que somos engenheiros ou administradores, sabemos da importância de um bom orçamento. Geralmente são elaborados pela equipe técnica de orçamentação em uma empresa, utilizando seus próprios índices de produtividade coletados de obras passadas. Quanto mais maduro um setor de orçamentação, mais customizados são seus processos e mais individuais são seus dados. Quando falo em individuais, quero dizer que não são retirados de manuais ou tabelas de produtividade e sim do banco de históricos que compõem os ativos organizacionais da empresa.


Infelizmente, vive-se uma verdade não muito boa da mão de obra de planejamento no Brasil. A equipe de orçamentação não é especialista em técnicas e ferramentas de planejamento e os planejadores das obras não possuem conhecimento aprofundado de orçamentação.


Por causa desta realidade, temos obras com orçamento totalmente fora da realidade e execução financeira totalmente fora do orçado.


Quem nunca viu o cronograma de execução da obra que é entregue em uma proposta técnica sendo feita em um excel ou em um Project sem recursos alocados? Imagino que 100% das vezes. A equipe de orçamentação, que não entende muito bem de ferramentas como Project e Primavera, criam histogramas de forma totalmente rudimentar, baseada em HH retirados dos quantitativos de obra. O resultado são picos de obra errados com sub alocação de mão de obra e equipamentos.


Da mesma forma, temos na obra planejadores que não conseguem entrar nas composições de custo e trocar os valores pela realidade da obra. Planejadores, que são tratados como analistas, onde se exige deles que apenas façam programação semanal, atualize cronograma, elabore curva “S” e elaborem relatórios dos mais variados para o cliente. Ahhh, está na moda exigir que saibam também Power BI.


Um bom planejador é aquele que consegue coletar os dados da obra e compará-los com as premissas que foram adotadas na fase de orçamentação. Ele entra na composição e verifica se os índices de produtividades estão defasados, elabora histograma de acordo com o plano de ataque da obra que será executado e verifica as diferenças com o histograma de proposta, analisa as perdas nos canteiros para verificar se estão de acordo com as premissas adotadas na orçamentação e registra tudo de forma organizada, pois todas informações poderão ser utilizadas em um possível pedido de aditivo para reequilibrar o projeto.


O objetivo deste artigo não é levantar as habilidades necessárias em um planejador de obra, mas apenas mostrar a necessidade de conhecimento de orçamentação por este profissional. Não podemos ganhar uma obra baseada no orçamento e depois ignoramos as premissas adotadas nesta e traçarmos metas baseadas em índices inatingíveis de proposta.


Portanto, se você é planejador de obra e não tem conhecimento de orçamentação, aproveite este final de ano e procure um curso voltado pra esta área. Existem inúmeros no mercado. Entretanto, na hora de escolher, opte por um que possua no mínimo 20 horas de curso. Orçamentação não é difícil, mas o conteúdo é extenso. Fica a dica e bons estudos!!

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo