top of page
  • Foto do escritorThiago Lugão

Monitorar os Riscos


Dando continuidade à série de artigos sobre Gestão de Riscos em Projetos (GRP), hoje iremos abordar o último dos oito tópicos sobre o tema “processo de Gestão de Riscos”: Monitorar os Riscos. Este é o processo crucial para atingirmos a eficácia do que planejamos por todo o ciclo do qual temos abordado de gestão de riscos.


Então vamos lá:


A etapa de monitorar os riscos objetiva acompanhar a implementação do plano de respostas dos riscos, monitorar os riscos identificados e identificar novos, além é claro, de avaliar a eficácia do processo, fechando assim o PDCA.


O processo de monitorar os riscos valida inúmeras informações:

- As respostas a riscos implementadas são efetivas;

- O nível geral de risco do projeto sofreu alterações;

- As premissas ainda são válidas;

- A estratégia do projeto ainda é válida;

- As reservas de contingência precisam ser modificadas;

- Surgiram novos riscos individuais.


Gosto muito da conhecida frase de Edwards Deming, o pai da qualidade: - Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia”. Ela deixa claro que o sucesso do gerenciamento depende de boas métricas. Por este motivo, o gerente de riscos deve dar atenção máxima aos gráficos que irão compor seu dashboard de riscos.


Costumo escolher gráficos que mostrem não apenas a situação do projeto e suas áreas, mas também o nível de engajamento das gerencias no processo de gestão de riscos. É necessário que haja gráficos que monitorem a qualidade e a quantidade das respostas aos riscos. Desta forma, o gestor irá encontrar as gerencias que estão mais engajadas no processo. Gerencias que criam poucas respostas, ou que permitem atrasar a implementação destas, geralmente são as menos comprometidas com o processo. Identificar estas lacunas é extremamente importante par a melhoria contínua do processo.


E claro, já repeti mil vezes, mas nunca é perda de tempo abordar mais uma vez esta afirmação: O processo de gestão de riscos tem que fazer parte da gestão de projetos como um todo, ser integrado. Portanto, é necessário que a situação dos riscos seja levada para reuniões de acompanhamento do projeto, assim como um tópico sobre segurança ou construção e montagem é abordado.


Em síntese, para que o processo de gestão de riscos seja eficaz e eficiente, é necessário que o monitoramento seja refinado e detalhado. É esta etapa que fecha o ciclo PDCA e garante o processo dinâmico.


Queridos leitores, espero que tenham gostado do assunto de hoje. Meditem no que foi escrito neste artigo e deixe a opinião dos senhores nos comentários.


Na próxima semana iremos entrar em outro tema dentro de riscos, onde abordaremos os problemas no processo de gestão de riscos. Ao todo serão 16 tópicos!


Aguardo vocês, até a próxima e fiquem na paz!


Lugão Consultoria


Abaixo segue o Link dos Temas já abordados sobre o assunto: Gestão de Riscos em Projetos


1- Tópicos interessantes sobre Riscos;

2- Profissional de Riscos;

3- Processo de Gestão de Riscos;


4- Problemas no processo de gestão de Riscos.

75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page